segunda-feira, 12 de abril de 2010

Amando

Estive pensando em algo diferente, legal para escrever na "retomada" do blog; tanta coisa veio na mente. Eu poderia tentar bancar a inteligente e super ligada mostrando meu ponto de vista sobre os últimos acontecimentos; poderia ser aquela super drmática que conta dos casos amorosos impossíveis e mal resolvidos, mas isso não faz parte da Marina agora.. rs, digo agora por causa do Gabriel (meu noivo/ namorado/ amor da minha vida); poderia falar dos meus pensamentos tão mal formulados na hora de escrever ou falar da vida dos outros... Mas, acho que uma retomada disso aqui - é só um blog que ninguém lê, eu sei - significa mais do eu imagino. É sempre escrevendo que eu solto a minha parte mais artística... e não dizem que faz bem??!

Saindo um pouco desse início... Eu queria que alguém soubesse e fosse capaz de entender e saber o que eu sinto. rs*   Eu sei que é o tal do AMOR - Sim, amor. A-M-O-R. Amor, com todos os seus melhores predicados. Provavelmente outras pessoas já sentiram, mas duvido muito que tenha sido eu será como eu estou sentindo. Não é mais forte que a gente como muitos dizer. Não é mais forte porque não vem de fora. Não é mais forte porque simplesmente é você mesmo, na sua melhor forma, em plenitude. Dizem que o amor não tem como se definir. Discordo completamente. Quer definir o amor? Simples, muito simples... Pegue uma folha de papel. Pegou? Agora escreva assim em uma linha: Gabriel Duarte Gomes. Escreveu? Agora do lado dê um pequenino espaço e escreva a letrinha "E", assim mesmo, mais forte, em negrito. Logo depois dê mais um pequenino espaço e escreva o seguinte: Marina Lima dos Santos. Pronto? Agora leia. Grite bem alto o que você escreveu; fale baixinho só para o seu coração ouvir. Agora você já entendeu... Você acabou de definir o amor, ahh.. o amor que tanta gente procura e não acha, ou acha como eu achei. A essa altura você deve estar pensando: Que garotinha atrevida... Define o amor, logo o amor como ela e o ... namor... não, como o noivo dela. É louca, só pode. Bem, se é isso ou mais alguma coisa que você está pensando acertou completamente. só os chamados loucos se atrevem a defenir "coisas" até então misteriosas e indefinidas. Além de loucos, devem ser apaixonados... tá aí, outra palavrinha que me deixa "encucada". Apaixonados... acredito que não se deve ESTAR apaixonado, mas SER apaixonado. Você pode gostar muito de algo, ser louco, fixurado por aquilo, mas sem paixão você não faz direito. É a paixão que te permite flutuar, sair de órbita pensando no amado e é o amor que te segura no chão pra você não sair tanto da órbita a ponto de esquecer de si. Quando os dois estão juntos é melhor ainda. Tomara que quem leia isso saiba do que eu estou falando, tomara que já tenham experimentado essa delícia que é AMAR, melhor.. que estejam AMANDO. Mas Marina, pra que isso tudo? Pra que falar tanto disso? Como tudo na vida..simples: Papai do céu disse que a nossa boca fala do que o nosso coração está cheio. Sejamos inteligentes. Falo disso porque é esse sentimento que toma conta do meu coração. Esse amor que nutre meu ser, que acolhe minha alma e acelera meu coração. O AMOR que sinto por você, Gabriel, meu Gabriel. Quero que todos saibam que sou sua menina, que meu amor é teu; que o amor que guardei agora é teu.
CASA COMIGO?

Ao amor da minha vida, toda a minha vida!